[GUIA] O que é intercâmbio? Tipos, como fazer e quanto custa

Tempo de leitura: 11 minutos

O que até o fim dos anos 90 era restrito a quem tinha alto poder aquisitivo mudou (para melhor!) O mundo evoluiu e a definição sobre o que é intercâmbio também.

Enquanto antes essa experiência funcionava basicamente como uma troca – um brasileiro passava uma temporada na casa de um estrangeiro; e vice-versa-, hoje apresenta inúmeras possibilidades.

Ah! E para fazer um intercâmbio não mais necessário ficar 1 ano fora, como antigamente… Existem programas de estudo que possibilitam a experiência a partir de duas semanas.

Hoje, um intercâmbio é bem mais acessível e bem menos burocrático.

E, se você é novato no assunto, saiba que você está diante de uma das coisas mais INCRÍVEIS que você pode fazer na sua vida.

Ficou curioso? Vamos explicar tudo com esse Guia completo sobre o que é intercâmbio: tipos, como fazer e quanto custa:

Quem pode fazer intercâmbio?

De pré-adolescentes a idosos: todos podem embarcar nessa jornada que propicia uma imersão inesquecível em outro país, a convivência com pessoas de todas as partes do mundo e, de quebra, o aprendizado de outro idioma que é um plus e tanto, não é mesmo?

Ou seja…

O intercâmbio internacional deixou de ser uma coisa complicada!

Enquanto antes o contato com a família era tarefa bem mais trabalhosa e a questão financeira se colocava como o maior entrave, hoje as saudades podem ser amenizadas com a tecnologia e as condições de pagamento estão extremamente facilitadas.

Os reflexos dessa expansão são traduzidas em números.  

Dados coletados pela Brazilian educational & Language Travel Association (Belta), indicam que em 2017,  mais de 302 mil pessoas deixaram o Brasil para estudar em outros países através de intercâmbio.

E aí você deve se perguntar:

Por que tanta gente faz intercâmbio?

por que intercâmbio

Como comentamos acima, um intercâmbio é uma das coisas mais incríveis que você pode deve fazer na sua vida.

Não estamos falando apenas de uma experiência de estudo e trabalho, mas sim de uma experiência única vivida em outro país.

E adivinha? Esse é o principal porquê de tantas pessoas fazerem um intercâmbio: a experiência.

Quem já viveu um intercâmbio, sabe que motivos não faltam para explicar o porquê de fazer um. Listamos abaixo apenas alguns deles:

  • Conhecer a cultura de outro país, suas vivências e diferenças;
  • Se tornar independente e seguro para tomar as decisões sozinho;
  • Ampliar o autoconhecimento. Um intercâmbio causa uma transformação pessoal incrível!
  • Aprender outro idioma e conquistar a fluência;
  • Se qualificar profissionalmente em sua área através de certificações no exterior;
  • Turbinar o currículo com diferenciais para o mercado de trabalho;

Clique aqui e explore 8 (excelentes) razões para fazer um intercâmbio

Quais os tipos de intercâmbio e quem pode fazer?

Existem vários tipos de intercâmbio e os requisitos variam em cada um deles (vamos explicar tudinho).

Como pré-requisito, já adiantamos que é necessário que você tenha muita vontade de se desenvolver (como pessoal e profissional) e esteja aberto a viver outra cultura.

Se identificou? Então confira os tipos de intercâmbio abaixo:

  • Intercâmbio de férias

Que tal aproveitar as férias para conhecer lugares incríveis, dar um up no inglês ou ainda se especializar na área de atuação? O intercâmbio de férias reúne tudo isso e não exige que você “largue” tudo no Brasil para viver a experiência.

Tem opção para todas as idades e objetivos. Fique atento as alternativas abaixo e aproveite para conferir quanto custa um intercâmbio de 1 mês aqui.

a) Férias profissionais: são aqueles programas em que você pode optar em fazer diferentes tipos de cursos no exterior durante as férias do trabalho, da escola ou  mesmo da universidade aqui no Brasil. Curso geral de idioma no exterior ou inglês focado para profissionais como advogados, publicitários, designers, professores e até piloto de avião são apenas uma ideia de todas as ofertas disponíveis.  O melhor disso tudo é que você também pode conhecer lugares incríveis com os colegas da escola no tempo livre.

b) Summer e Winter Camps: Destinada a adolescentes entre 14 e 17 anos, essas programações acontecem nas férias escolares de inverno ou verão e inserem a garotada no contexto internacional. Além de excursões pelo destino escolhido, os jovens participam de atividades pra lá de divertidas e, claro, aprimoram o inglês em um ambiente multicultural e de muitos desafios. Os pais também podem ficar tranquilos, já que a segurança dos jovens é prioridade e a galerinha fica sempre monitorada.

  • Intercâmbio de idiomas

É aquele intercâmbio para turbinar o inglês e voltar para o Brasil com inglês afiado. A opção mais procurada é o curso de General English (ou Inglês Geral) em que você pode estudar a fundo o idioma em tempo integral ou turno único e ainda participar de atividades extras na escola.  

Os intercambistas que possuem objetivos específicos também podem cursar os preparatórios de proficiência como IELTS, TOEFL e Cambridge e ainda caprichar nos cursos como TESOL e CELTA. Com foco e dedicação não tem erro: o inglês fica na ponta da língua. E se o tempo for curto, não se preocupe, existem opções de cursos a partir de 2 semanas.

  • Intercâmbio de estudo e trabalho

Aprender inglês e trabalhar para ajudar nos custos lá fora tem sido a opção de muitos brasileiros que optam por um intercâmbio. Países como Austrália, Nova Zelândia, Irlanda e Malta são os destinos que oferecem empregos para os brasileiros, desde que estejam matriculados em alguma escola de idiomas.

Atividades como barista, garçom, vendedor, pedreiro, babá e muitas outras garantem uma boa renda extra e ainda permitem que os estrangeiros viagem pelos arredores.

  • Intercâmbio de viagem e estudo (Work & Holiday)

Imagine um programa específico para a Nova Zelândia em que é possível trabalhar por um ano, sem a preocupação de estar matriculado em uma instituição de ensino. Esse é o propósito do Work & Holiday e talvez por isso ele seja mais concorrido: são destinadas apenas 300 vagas por ano.

Ah, o programa aceita somente pessoas com até 30 anos e o intercambista só pode trabalhar três meses em cada emprego.

  • Intercâmbio de cursos profissionalizantes (VET)

Não tem formação universitária e quer se certificar no exterior? Os cursos VET (Vocational Education and Training) são a melhor opção para quem quer se jogar no mercado!

Aplicada através de módulos, as aulas são extremamente reconhecidas pelo universo corporativo, já que focam muito mais na prática do que na teoria. Você será desafiado a criar projetos, “colocar a mão na massa” e pensar em soluções.

Não bastasse isso, os cursos VET, via de regra, geram permissão de trabalho em países como Austrália e Nova Zelândia. Já pensou como essa experiência pode pesar na sua bagagem profissional?

  • Intercâmbio universitário (higher education)

Concluiu a graduação no Brasil e quer buscar uma especialização de qualidade lá fora? Escolha um intercâmbio universitário. Países como Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos e Inglaterra têm recebido inúmeros brasileiros que desejam expandir os horizontes e construir a carreira acadêmica em um ambiente multicultural.

Não há uma regra única sobre os requisitos exigidos e cada universidade apresenta o seu método de seleção. A Information Planet pode te dar aquela mãozinha  com uma assessoria completa e sugestões de instituições que tenham a ver com o seu perfil.

  • Intercâmbio em família

O intercâmbio em família é a opção perfeita para você desconstruir a ideia de que só jovens solteiros, livres e desimpedidos podem se aventurar em um intercâmbio. Isso porque algumas universidades oferecem programação para a família do intercambista que se propõe a estudar lá fora.

São oportunidades que vão desde creches para crianças a cursinhos de inglês para adolescentes e adultos.  Mas é importante que você verifique bem quais são as condições que cada instituição oferece. Para você compreender melhor esse cenário, a Information Planet selecionou duas condições em que as famílias intercambistas se encontram hoje no exterior:

  1. Período curto e opções de trabalho lá fora: É aquela mãe ou aquele pai que vai estudar fora por um curto período e quer levar a família junto. Chegando lá, em alguns casos, esposa ou marido (a) e filhos têm acesso a cursos, creche e por aí vai.
  2. Imigração: o intercambista leva a família como dependente com o objetivo de, posteriormente, migrar de vez para o país. É uma espécie de trampolim educacional. Ou seja, o (a) estudante busca firmar carreira acadêmica no exterior e, para isso, vai tentar permissão de trabalho para o esposo(a) e fixar moradia no país escolhido.
  • Intercâmbio com trabalho voluntário

São programas em que você não vai estudar, mas sim ajudar uma causa. Trabalhar com crianças carentes,  auxiliar ONGs que prezam pela causa animal e colaborar com projetos sociais em áreas de conflito são algumas opções oportunizadas no trabalho voluntário.

  • High School – Intercâmbio no ensino médio

Já pensou em trocar um ano da escola no Brasil por um ano em uma escola gringa? Os programas de High School (o equivalente ao nosso ensino médio) oferecem a possibilidade de estudar nas instituições lá de fora como se você fosse um local. Para integrar esse programa é necessário estar matriculado no 1°, 2° ou 3° ano do ensino médio aqui no Brasil.

Ficou em dúvida se você pode fazer um dos intercâmbios acima? Fale com um especialista da Information Planet.

Quanto custa um intercâmbio? É de graça?

quanto custa um intercâmbio

Depende.

Independente do tipo de intercâmbio é preciso que você tenha alguma economia guardada para pagar passagem, visto e matrícula da escola. Dependendo do destino, ainda é possível custear os gastos trabalhando e, à medida que economizar, abater o investimento feito antes de embarcar.

Se a única condição para você fazer um intercâmbio é a economia máxima, considere os principais fatores que podem impactar no preço:

  • Tipo de intercâmbio (o país permite que você trabalhe enquanto estuda?)
  • País e cidade (custo de vida alto ou mais tranquilo?)
  • Estilo de vida (vai cozinhar em casa ou só comer na rua?)
  • Acomodação (Aluguel no centro da cidade ou em zonas mais afastadas para baratear a mensalidade?

Todas essas questões podem ser facilmente esclarecidas antes de você bater o martelo e encarar esse desafio. Solicite um orçamento aqui e tire todas as suas dúvidas!

Veja também exemplos de intercâmbio de estudos de 1 mês, 6 meses e 1 ano.

Conclusão

O intercâmbio é uma escolha que muda vidas, acredite!

A Information Planet, que já embarcou mais de 50 mil brasileiros, acredita que o intercâmbio atrai cada vez mais as pessoas por uma única razão: evolução.

E essa evolução a que nos referimos está relacionada a infinitos aspectos: vida pessoal, carreira, autoconhecimento, segurança, independência, tomada de decisões, desenvolvimento e por aí vai.

É nesse contexto que deixamos para você dois temas de casa:

1) Comece a encarar o intercâmbio não como um gasto, mas como um dos melhores investimentos da sua vida! A transformação interna é profunda e os reflexos impactam não só na carreira, mas na sua relação com o mundo.

2) Experimente perguntar para qualquer pessoa que já passou um tempo no      exterior, como foi essa experiência. O que ela levou do intercâmbio para a vida e de que forma essa temporada lá fora contribuiu para ser quem ela é hoje.

Você vai se surpreender.

E aí, gostou da nossa explicação sobre o que é um intercâmbio? Deixe um comentário abaixo e aproveite para solucionar dúvidas. Teremos o maior prazer te ajudar.

planejamento de intercambio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *