4 vantagens em fazer um intercâmbio para estudar na Austrália

Tempo de leitura: 7 minutos

A Austrália é um dos destinos mais procurados por brasileiros que querem viver a experiência do intercâmbio, seja para desenvolver o inglês, fazer cursos técnicos ou graduação e por ser um país que possibilita a opção de estudar e trabalhar.

A grande procura não é à toa. Para quem tem um interesse genuíno de estudar na Austrália (não só aquele interesse de “fachada”, sabe?), saiba que o país apresenta uma série de vantagens para quem é brasileiro.

Preparado(a) para se encher de razões para optar pela terra dos cangurus?

1) É um país acostumado a receber estrangeiros

Recapitulando às aulas de história e geografia, a Austrália é um país que carrega influências da colonização britânica e é colado na Ásia.

Junte isso a milhares de estudantes de diferentes continentes que todo ano vão estudar por lá e como resultado temos um lugar que não fica fechado apenas a uma única cultura.

Chineses, holandeses, africanos, gregos, tailandeses, vietnamitas, indianos, ingleses e… brasileiros!

É tanto imigrante que, segundo o site Info Escola, os números atuais chegam a cerca de 1 imigrante para cada 2 australianos.

Mas afinal, qual é a vantagem disso?

Essa forte miscigenação cultural cria uma atmosfera de cooperação com pessoas de fora (no caso, você).

Os australianos têm um DNA multicultural, com o prazer de receber imigrantes. Portanto, não tenha receio de ficar um pouco deslocado quando chegar lá, afinal eles já estão bem acostumados e abertos a receber estudantes de outros países.

No caso das escolas, por exemplo, os professores recebem anualmente estudantes de diferentes países, fato que torna eles especializados em ensinar a língua para quem é de fora.

Não precisa ter aquele medo de falar errado, sabe? Vai ter muita gente na mesma situação que você e todo o ambiente vai cooperar para que você fique craque no inglês!

2) O lifestyle e o clima lembram muito o Brasil

Apesar de toda experiência de intercâmbio gerar um choque cultural, estudar na Austrália tem como vantagem algumas semelhanças com o Brasil, no caso o estilo de vida e o clima.

No que se refere ao lifestyle, os australianos são muito apegados à qualidade de vida. A rotina em algumas cidades lembra muito algumas cidades costeiras do Brasil, como Rio de Janeiro e Florianópolis.

O australiano gosta de encerrar seu expediente de trabalho e curtir as praias de Gold Coast, praticar exercícios nos parques de Sydney, combinar de fazer um “barbie” (gíria para barbecue), como eles comumente chamam o churrasco, ou apenas beber algo para descontrair.

Leia também: Comidas típicas da Austrália

Já em relação ao clima, como no Brasil você pode encarar de tudo dependendo da sua localização. Por lá você encontra de praias belíssimas a montanhas nevadas.

Sobre a temperatura, o calor é intenso no verão, podendo chegar aos 40º graus (êta calorão brasileiro!). Nas cidades do sul como Victoria e Tasmânia geralmente neva no inverno, estimulando esportes como snowboard e esqui.

3) Estudantes brasileiros são bem vistos pelo Departamento de Imigração

Todo brasileiro que possui um interesse genuíno em estudar na Austrália é bem visto pelo Departamento de Imigração do governo australiano.

Para compreender melhor essa questão, vamos explicar abaixo como funciona o ranking de risco de países e escolas, que influenciam diretamente na aprovação ou não do seu visto para a Austrália.

• O que é o Ranking de Risco?

Todos os anos o Departamento de Imigração do governo australiano divulga um Ranking de Risco de países para liberação de vistos para estudantes.

O governo Australiano trabalha duro para garantir a entrada de estudantes genuínos em seu país, ou seja, aqueles que vão realmente para estudar e não só “de fachada”.

O Brasil atualmente é nível 1 (o melhor nível) do ranking de risco de países, segundo última atualização feita em 31 de março de 2017.

Qual é a vantagem disso? Estudantes de países que estão no nível 1 de risco possuem um grande facilitador na obtenção de vistos para fazer intercâmbio na Austrália.

Portanto, se você se considera alguém realmente interessado em se desenvolver por lá através do estudo, ponha essa vantagem australiana na sua lista!

• Entendendo melhor o ranking de risco do país:

O risco de país é apurado a partir dos dados históricos do número de pessoas que aplicaram um visto fraudulento (com informações falsas) ou que pediram um visto mas têm como objetivo final ficar na Austrália para viver e trabalhar.

Por isso, se o país já teve muitos casos de aplicação de visto com documentos ou informações falsas, vistos negados ou muitos estudantes e imigrantes ilegais, o risco desse país aumenta perante os órgãos de imigração australiana (o que dificulta a obtenção de visto).

Outro fator que afeta essa vantagem é a escola que você optar. Sim! Existe também um ranking de risco de escolas.

• Entendendo melhor o ranking de risco de escolas:

Se uma escola tem um histórico de muitos estudantes que cancelaram o curso, vistos negados ou se as autoridades consideram que os cursos oferecidos visam mais facilitar a obtenção de um visto para entrar no país mas que não oferecem boa qualidade de ensino, é um indicador de risco.

Neste caso, a escola tem seu nível de risco elevado perante a imigração australiana.

Conclusão:

Existe portanto, na hora de obter o visto, uma avaliação tanto do risco do país de origem quanto do risco da escola, um tipo de “score”, onde o nível 1 é o melhor (OOO LÊ LÊ Ô! BRASIL!).

Escolhendo uma boa escola, você, brasileiro, genuinamente interessado em estudar e não só em ficar a vida inteira por lá comendo “barbies”, possui altas chances de conseguir o visto de estudante para a Austrália.

Dica de ouro: Se você escolher uma escola de nível 2 ainda é possível conseguir o visto, mas precisa ter uma boa orientação para reunir as informações e documentos necessários.

Agora, se o seu projeto de intercâmbio está voltado para uma graduação, pós-graduação, mestrado ou doutorado, suas chances são ainda maiores de conseguir o visto.

A Austrália recebe muito bem os estudantes brasileiros de nível superior (higher education). Isso porque o governo de lá entende que são pessoas que querem investir no seu desenvolvimento pessoal e contam com a qualidade das instituições de ensino do país.

4) A qualidade de ensino é reconhecida mundialmente

Estudar na Austrália é sinônimo de aprendizado em alto nível. As escolas de idiomas e universidades são reconhecidas por apresentar índices de qualidade cada vez maiores.

O país é um dos pioneiros em atrelar a aprovação de vistos com a qualidade das escolas. Uma demonstração clara de preocupação do governo australiano em garantir ensino de qualidade para os estudantes internacionais.

Se você quer saber qual escola australiana é ideal para você, leia também: Escolas na Austrália: Como escolher?

Além disso, o governo da Austrália possui um órgão de proteção aos estudantes internacionais, chamado de TPS (Tuition Protect Service), responsável pelo controle de todas as matrículas emitidas pelas escolas locais.

Caso ocorra de uma escola fechar as portas, o TPS garante que o estudante matriculado não fique “a ver navios”, sem estudo e sem dinheiro, realocando imediatamente o estrangeiro a fim de assegurar a alta qualidade de ensino australiano.

Portanto, se você busca realizar um investimento em você, no seu desenvolvimento profissional, tenha a Austrália como uma das melhores opções no quesito qualidade de ensino.

É isso! Gostou das vantagens que os “aussies” (apelido carinhoso dos australianos) oferecem para os brasileiros?

Realmente são vantagens que definitivamente pesam na hora de escolher o país ideal para fazer o seu intercâmbio.

Mas vale reforçar que as vantagens quanto à emissão de vistos são válidos unicamente se você tem o que eles chamam de “interesse genuíno” de estudar na Austrália.

Continue acompanhando nosso blog para sempre ficar por dentro das possibilidades de intercâmbio.

Webinar Austrália

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *