Visto para Austrália: tudo o que você precisa saber para estudar e trabalhar no País

Tempo de leitura: 15 minutos

O visto é um passo crucial no planejamento do seu intercâmbio para Austrália. Afinal, sem ele você nem embarca.

Se você já parou para procurar na internet sobre visto australiano, deve ter notado que existem muitas informações desconexas (cada lugar diz uma coisa).

Neste artigo, vamos colocar explicar detalhadamente como tirar seu visto de estudante para a Austrália.

Por exemplo, se você quer estudar na Austrália por pouco tempo, saiba que o visto de turista permite o estudo por até 12 semanas.

Já se o objetivo da sua viagem for de fato fazer um  intercâmbio de estudo e trabalho, o visto que você vai precisar é o visto de estudante.

Por mais que você tenha a intenção também de trabalhar, saiba que, apesar do nome ter “estudante”, é esse mesmo visto que vai permitir que você também trabalhe por lá.

E aí você deve se perguntar: quanto custa o visto de estudante australiano?

O visto para Austrália custa a partir de AU$560.

Para emiti-lo é preciso estar enquadrado em perfil de estudante genuíno.

Apesar de ter muitos brasileiros na Austrália, não é qualquer um que consegue embarcar pra lá. Ultimamente, a embaixada australiana está ainda mais atenta aos perfis de aplicantes ao visto para manter a qualidade de imigrantes no seu país.

A boa notícia é que estudantes brasileirão são bem vistos pelo Departamento de Imigração. Anualmente, esse departamento divulga um Ranking de Risco de países para imigração australiana e, felizmente, o Brasil é nível 1 (o melhor nível), segundo última atualização feita em 31 de março de 2017.

Veja aqui 4 vantagens que brasileiros têm ao estudar na Austrália

Beleza, você tem sorte de querer ir para a Austrália e ser brasileiro!

Mas! É importante ficar claro que a decisão de aprovação ou negação do visto é soberana do Departamento de Imigração. São eles que irão avaliar o seu perfil e os seus documentos e decidir se você poderá obter o visto ou não. As dicas que vamos são algumas recomendações para obter o visto, ok?

Dicas para obter o visto de estudante para Austrália

Todos os vínculos abaixo se baseiam em identificar se você tem um interesse genuíno de estudar lá. Ou seja, eles (Departamento de Imigração) não veem com bons olhos pessoas  que buscam ir pra lá para estudar e podem futuramente ficar sem rumo e sem destino pelo país.

Abaixo, vamos listar alguns pontos que são importantes para comprovar o seu interesse de estudo genuíno e, assim, ter maiores chances de obter o visto australiano:

1) Comprovar seu suporte financeiro

Este é o ponto mais importante. Afinal, o Departamento de Imigração precisa garantir que você ou alguém próximo (mais indicado que seja seu pai ou sua mãe) tenha condições financeiras para que você possa se manter no país.

Para comprovar isso, é preciso apresentar documentos que comprovem que você ou a pessoa escolhida para ser o seu suporte financeiro tenha essa capacidade financeira.

De quanto estamos falando ($$$)?

De maneira nua e crua, a Austrália exige que você tenha AU$1.761* (em torno de R$5.000) para cada mês que você pretende ficar por lá.

*Valor baseado em abril de 2018

No caso de você optar por um curso de de 6 meses*, por exemplo, será necessário apresentar documentos que comprovem a presença de 33 a 35 mil reais em uma conta bancária – na conta de um titular ou na soma de dois titulares no máximo (você e seu pai, por exemplo).

*Normalmente, ao solicitar um visto para a Austrália para fazer um curso de 6 meses, a imigração irá lhe conceder mais 1 mês para ficar lá (visto de 7 meses).

Este dinheiro também não precisa estar disponível livre em conta corrente: vale aplicação em poupança e até fundo de investimento (com liquidez diária), mas tem que ser um dinheiro disponível para retirada imediata (valor em bens não são válidos para comprovação de renda!)

ATENÇÃO! Esse dinheiro é preciso TER em conta, não necessariamente você ou seu suporte financeiro irão precisar gastá-lo, ok?

[Dúvida frequente] Por obrigação, você terá que apresentar os extratos dos últimos 3 meses da sua conta e sua situação pode ser a seguinte:

Em julho sua conta tinha R$5.000, em agosto R$7.500 e só em setembro você chegou aos R$35.000 necessários.

Nesse caso é preciso ter especificado em forma de carta uma explicação para a grande quantia em dinheiro que entrou recentemente na conta, juntamente com um comprovante de validação da transação. (Ex: venda de um bem, doação da família, etc).

[Exceção em suporte financeiro] Você e nem seus pais ou cônjuge possuem o dinheiro necessário em conta. Se o seu Imposto de Renda, mais o dos seus pais e de seu cônjuge for superior a R$160mil (somando vocês 4), não será preciso comprovar o dinheiro em conta.

2) Comprovar um vínculo acadêmico

É indicado apresentar documentos que comprovem que você já é formado, está cursando ou está com a faculdade trancada, porém mantém ou possui ou já teve algum tipo de vínculo com uma instituição de ensino.

OBS: Caso tenha trancado a faculdade, é interessante que o documento não alegue que sua parada já seja por mais de 1 ano.

3) Comprovar um vínculo empregatício

Outro ponto que fortalece as chances de ter o visto de estudante aprovado é o vínculo empregatício.

Para mandar bem nesse ponto, é preciso apresentar documentos que comprovem um histórico de trabalho, por meio de carteira de trabalho, holerites, contratos de prestação de serviços, notas fiscais emitidas, etc.

OBS: Os vínculos de trabalho devem ser preferencialmente recentes.

OBS2: Se você foi demitido ou pediu demissão recentemente é indicado enviar também sua rescisão e os últimos contracheques.

OBS3: Caso você ainda esteja na faculdade e esteja realizando algum estágio,  também é um fator positivo!

Lembra do perfil de estudante genuíno que citamos acima? Para ficar mais claro, vamos passar aqui alguns perfis genuínos e não-genuínos para você entender melhor. Saca só:

Exemplos de perfis de estudantes genuínos:

  • Pessoas que acabaram de concluir o ensino médio, mas que ainda não iniciaram o curso superior, estando trabalhando (ou não), que tenham a própria renda ou que os pais serão o suporte financeiro;
  • Pessoas, dos 18 aos 26 anos, cursando a faculdade, não trabalham, não possuem imposto de renda, e os familiares serão o suporte financeiro;
  • Pessoas com formação superior completa ou em andamento, estão trabalhando, que possuem renda própria ou suporte financeiro dos familiares;

Exemplos de perfis estudantes não-genuínos:

  • Pessoas com mais de 26 anos, com trabalho, renda, mas que possuem apenas o ensino médio;
  • Pessoas desempregadas há mais de 1 ano;
  • Pessoas desempregadas há mais de 1 ano, sem estudo superior/ou com trancamento da faculdade por mais de 1 ano;
  • Pessoas com mais de 30 anos, que já tenham morado na Austrália anteriormente, realizado diversos cursos, retornou ao Brasil, trabalham como autônomo, mas não tem comprovação de trabalho;
  • Pessoas que abandonaram e não completaram o ensino médio;

Vale reforçar que, apesar das recomendações acima, o que irá decidir se o seu visto de estudante para Austrália será emitido ou não é a decisão soberana do Departamento de Imigração.

Portanto, se você ainda tem dúvidas sobre esse ponto e quer ter uma melhor noção do seu perfil para conseguir o visto, fale com um de nossos especialistas em intercâmbio para receber mais orientações, ok?

Independente do seu perfil, já é bom ficar ligado nos documentos que você irá precisar apresentar para adquirir o visto. Confira:

Documentos necessários para o visto

Primeiro, o prazo: Para emitir o seu visto de estudante será preciso a apresentação de alguns documentos, pelo menos, 60 dias úteis antes do embarque. Os documentos que você deve apresentar variam um pouco a partir do tipo de curso que você irá fazer. Mas, basicamente, são eles:

  • Formulário de solicitação de visto preenchido com todas as informações e assinado;
  • Formulário 956A preenchido. (importante formulário de envio para a embaixada australiana);
  • Cópia colorida do passaporte (com no mínimo 6 meses de validade) da página que contém os dados pessoais;
  • Cópia colorida do documento de identidade (RG ou CNH);
  • CoE (Confirmação de Matrícula), fornecido pela sua agência após pagamento integral do curso;
  • OSHC (seguro de saúde australiano), fornecido pela sua agência após pagamento integral do curso;
  • Certificado ou declaração do último grau de escolaridade. No caso de ainda estar cursando a faculdade, comprovante de trancamento da matrícula ou atestado de frequência;
  • Imposto de renda completo com comprovante de declaração de entrega ou comprovante de situação cadastral do CPF caso seja isento.
  • Carteira de trabalho com cópia dos últimos contratos de trabalho, caso empregado com registro em carteira;
  • Caso não possua carteira de trabalho, contrato de trabalho ou carta da empresa na qual presta serviços atualmente, atestando o cargo, tempo de empresa e remuneração (original com timbre, carimbo, assinatura e dados para contato do responsável);
  • Holerites, contracheques, pró-labore, DECORE ou RPAs dos 03 últimos meses, caso possua;
  • Carta de intenções, explicando o motivo da viagem. Deverá ser digitada em inglês, impressa e assinada (assinatura igual à do passaporte);
  • Autorização de débito preenchida e assinada pelo dono do cartão para pagamento do visto;
  • Documentos para comprovar suporte financeiro: carta do responsável com firma reconhecida informando que irá providenciar suporte, imposto de renda completo, holerites e extratos bancários dos últimos 03 meses.

Dúvidas frequentes sobre o visto australiano

Listamos abaixo as principais dúvidas que recebemos na Information Planet a respeito do visto austrliano, tanto de estudo quanto para turismo. Confira:

Companhias aéreas têm o direito de impedir um estudante de embarcar no avião para a Austrália caso ele não tenha a passagem de volta?

O Departamento australiano de assuntos internacionais não exige a passagem de volta, mas sim que o estudante tenha dinheiro suficiente para assegurar a viagem de retorno.

Assim como não exige que as companhias verifiquem a passagem de volta.

Porém, as companhias podem tomar suas próprias decisões sobre quem eles permitem embarcar ou não.

Como as companhias aéreas são responsáveis pelos custos caso um passageiro seja enviado de volta pela imigração, se acharem que isso possa ocorrer eles podem optar por não embarcar um passageiro.

Posso ter o visto negado caso meu documento de matrícula ou o OSHC (seguro saúde obrigatório) seja cancelado ou não esteja cobrindo toda o período de minha estadia na Austrália?

Uma aplicação para visto pode ser negada caso o documento de matrícula não seja válido ou seja cancelado depois da solicitação do visto.

Sobre o período de estadia, o visto irá garantir que você fique na Austrália ou pelo período de estudo no país (mais um tempo extra após o final do curso, que pode variar dependendo da duração) ou pelo tempo de contratação do seguro de saúde obrigatório (OSHC).

Aqui, a definição da embaixada sempre será feita pelo qual o período for mais curto.

Por isso, é preciso que você e sua agência de intercâmbio garantam que tanto o documento de matrícula, quanto o OSHC estejam cobrindo o tempo que você deseja ficar na Austrália.

Caso eu já tenha solicitado um visto de estudante, posso incluir um dependente (membro da família) após o início do processo?

Você pode incluir um dependente na sua solicitação de visto mesmo após ter iniciado o processo, desde que a pessoa tenha sido declarada como membro da sua família na aplicação.

Se esse for o caso, contate a sua agência para saber como e o que é necessário para efetivar a solicitação de visto para um dependente.

Para comprovação financeira ao solicitar o visto, é possível apresentar declarações bancárias de um amigo ou da empresa que trabalho?

O mais importante na comprovação financeira é que você possa provar que terá acesso a esse dinheiro enquanto estiver na Austrália (o País precisa assegurar que você pode se sustentar lá tranquilamente).

Não tem nada que impeça que um amigo ou empregador seu garantam os fundos de sua comprovação financeira, mas o Departamento de Imigração irá certamente analisar a natureza do relacionamento entre você e essa pessoa para se certificar que ela é genuína.

Qual é o melhor momento para aplicação do visto de estudante?

Recomendamos que a solicitação do visto seja feita pelo menos 2 meses antes e não mais do que 4 meses do período de embarque desejado.

Em casos que é necessário o envio do documento de certidão de casamento,  existe um período mínimo necessário para comprovar a relação?

Não, porém é preciso demonstrar que há um relacionamento genuíno. Aqueles que se casaram há pouco terão que reunir mais provas para comprovar o relacionamento.

OBS: Uma certidão de casamento nem sempre é prova suficiente de uma relação de cônjuge/parceiro.

Em caso de estudos de 4 anos (ensino superior), é necessário ter o seguro saúde já pago para todo o período?

Sim. É exigido que o estudante tenha o seguro saúde já adquirido para todo o período que irá ficar na Austrália. Se você for estender o período de permanência, consequentemente terá que renovar o OSHC pelo mesmo período.

Meu visto de estudante foi negado! E agora? Quais são as recomendações?

Ter o visto negado com certeza é uma péssima notícia. A reaplicação do visto australiano só deve ser feita caso você tenha condições de fornecer uma nova ou diferente informação que acrescente e valorize você para o Departamento de Imigração. Caso contrário, o resultado com certeza será o mesmo (negativo).

Meu visto de turista foi negado! E agora? Quais são as recomendações?

É possível solicitar novamente o visto de turista desde que você consiga realmente provar que é um visitante genuíno (pretende visitar a Austrália para turismo ou para visitar família e amigos).

Vale lembrar que se você alterar o motivo da sua viagem (apresentado na aplicação anterior), geralmente será preciso apresentar um número maior de provas para comprovar a sua intenção de turismo.

Consegui meu visto de estudante e gostaria de ir para Austrália 1 mês antes do início do meu curso para adaptação. É possível?

Não é recomendável.

O Departamento de Imigração precisa estar convencido que você está viajando para a Austrália pelo propósito que o visto foi concedido (no caso, estudos).

Por isso, viajar muito antes do início do seu curso pode gerar interpretações de que você está indo viajar para outra coisa (turistar, por exemplo).

De qualquer forma, se você viajar mais de 7 dias antes do início do curso é preciso se certificar se o seguro saúde é válido também para esse período.

Vale lembrar que, com esse visto, só será possível trabalhar na Austrália a partir do início do seu curso.

Não tenho carteira assinada mas trabalho de maneira independente. De que forma posso comprovar o vínculo empregatício analisado pelo Departamento de Imigração?

Nesse caso, será preciso agrupar provas do trabalho o qual você realiza. O ideal é apresentar documentos que comprovem a sua renda com esse serviço – geralmente com uma declaração de imposto de renda e extratos bancários.

Caso você não consiga ter a comprovação com esses documentos, suas chances de ser bem visto pelo Departamento de Imigração serão reduzidas.

Conclusão

É bastante coisa, não é mesmo? Por isso, na hora de ver seu visto para Austrália, não dá para brincar! Tenha uma agência de intercâmbio de confiança para ajudar você a lidar com essas questões e não correr o risco de ter o visto negado.

Veja nosso artigo sobre o papel de um agência de intercâmbio – e evite dores de cabeça na sua escolha

Caso tenha dúvidas em relação ao visto para Austrália, fique à vontade para deixar um comentário abaixo ou procurar um de nossos especialistas.

para ir para australia precisa de visto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *