Como escolher a melhor escola para o seu intercâmbio?

A melhor nem sempre é a mais cara. Existem uma série de fatores que você deve avaliar para fazer a escolha certa.  

Sabemos que não é tarefa fácil, mas a ideia neste artigo é justamente simplificar esse processo e trazer ferramentas que ajudem você a realizar a escolha mais assertiva dentro do seu planejamento.

Antes de continuar a leitura responda a pergunta abaixo:

Qual é o seu grande objetivo ao fazer o intercâmbio?

  • Aprimorar o idioma?
  • Se profissionalizar e buscar uma bagagem que impacte no seu currículo?
  • Viver uma experiência internacional e conhecer pessoas de outros países?

Bom, para todas as situações acima, a escolha da escolha correta vai influenciar no sucesso (ou não) do seu intercâmbio.

Neste artigo, a Information Planet traz 9 dicas de ouro para você escolher a escola ideal que vá ao encontro do seu perfil e objetivos.

1) Metodologia: preste atenção nesse quesito

É regra. Para que você fique satisfeito com a escola, precisa escolher uma instituição com metodologia que vá ao encontro das suas preferências de aprendizagem.

Você é daqueles que gosta do formato sala de aula e explicação do professor?

Então deixe claro à sua agência de intercâmbio que o seu perfil é o método de ensino mais tradicional.

Mas se passar quatro horas dentro de uma sala é uma condição que só de imaginar já te gera angústia, escolha uma instituição que estenda o ensino para além das quatro paredes da escola.

Muitas instituições oferecem passeios, excursões, entre outras atividades que objetivam tornar a jornada de aprendizado do aluno ainda mais produtiva quando o assunto é experiência, debate e imersão.

Quer saber quais são as melhores escolas para estudar no Canadá? Clique aqui e descubra  

2) Atividades extras: porque um plus nunca é demais

Definida qual é a sua forma preferida de aprendizado e alie isso com o diferencial da escola. Verifique se a instituição oferece atividades extracurriculares, clubes de conversação, prática de pronúncia, entre outros.

Lembre-se que toda atividade extra é mais bagagem de aprendizado.

Afinal, você pode estreitar os laços com colegas que até então não tinha muito contato ou mesmo descobrir fatores culturais do país através das dicas dos professores.

É mais interação e, quanto mais diversas forem as formas de comunicação em outro idioma, mais expressivas são as chances de você conquistar a fluência em menor tempo.

OBS: Ah, se a sua intenção for trabalhar lá fora, não custa verificar se a escola oferece preparação na busca por empregos, ajuda a elaborar o currículo ou concede aquela forcinha na indicação das vagas.

3) Faixa etária

Outro detalhe importante a ser verificado é a média da faixa etária da escola ou da turma que você poderá integrar.

Algumas instituições, por exemplo, são mais focadas no ensino de jovens, outras oferecem cursos para pessoas com mais de 30 anos e até idioma para a terceira idade.

Ou seja, fique atento! Sempre pergunte à sua agência de intercâmbio de confiança sobre a faixa etária para não cair numa roubada.

Leia também: 24 melhores escolas para estudar na Austrália (com preços)

4) Fique atento ao mix de nacionalidades

mix-de-nacionalidades

Observe qual é o mix de nacionalidades da escola que você irá estudar. Falamos isso porque (de verdade) o contato intenso com brasileiros pode prejudicar o seu aprendizado.  

É evidente que você não precisa sair correndo, caso algum conterrâneo for incluído na sua turma.

Puxar papo em português sempre será o mais fácil, já que fica na sua zona de conforto.

Mas na medida do possível tente, ao máximo, falar inglês para não prejudicar seu aprendizado, ok?

Leia também: 7 dicas infalíveis para perder o medo de falar inglês

5) Verifique as credenciais que validam a qualidade da escola

Uma boa forma de escolher a escola ideal é verificar as credenciais. Governos de países especialistas no ensino do inglês, como Austrália, Nova Zelândia e Irlanda possuem órgãos que certificam as instituições e atestam a qualidade de ensino dos cursos oferecidos.

As escolas da Irlanda, por exemplo, são validadas pela Irish Council for International Students. As escolas da Austrália, o departamento de educação do próprio governo australiano certifica as escolas através do CRICOS.

ATENÇÃO: estudantes que desejam estudar e trabalhar na terra dos cangurus só terão permissão de encontrar um emprego se estudarem em escolas vinculadas a alguma instituição que apresente esse “selo”.

Já na Nova Zelândia, o programa é conhecido como New Zealand Qualifications Autorithy (NZQA).

6) Estrutura funcional

A sua escola possui Wi-fi, cozinha e computadores? Verifique esses detalhes antes de “fechar negócio”.

A cozinha (com microondas), por exemplo, é um detalhe precioso, especialmente para os alunos que precisam economizar. (Uma regra quase geral dos intercambistas).

Isso porque possibilita que levem almoço de casa e não sejam obrigados a comer fora.

Dica: Independente do país, almoçar em restaurantes durante o intercâmbio pesa no bolso.

Por isso opte sempre em levar lanche ou comida de casa. É claro que exceções podem acontecer. Mas não faça disso uma regra, ok? Seus custos poderão crescer consideravelmente.

7) Fique de olho no campus

campus

No Canadá, por exemplo, você tem acesso às mais variadas opções, como campus que oferecem estrutura com lounge, mesa de tênis, quadros interativos e Ipad para alunos.

Também tem espaços menores, que não deixam de ser confortáveis e aconchegantes para turmas pequenas.  

Há campus para todos os gostos!

Qual é o seu perfil? Gosta de um agito ou prefere algo mais tranquilo?

Escolas intimistas que dão aquela sensação de “estar em casa”, na maioria das vezes, são as preferidas dos intercambistas que priorizam qualidade no ensino.

Vantagem da IP: No momento em que envia a cotação das escolas, a Information Planet encaminha junto um link com localização, mapa, fotos e detalhes sobre instituições onde você poderá estudar. Uma ajuda e tanto na hora de bater o martelo.

8) Escolha uma escola perto do transporte público

Ninguém merece perder muito tempo caminhando (ainda mais em dias de chuva) para chegar até a parada de ônibus ou ao  ponto do metrô, não é mesmo?

Procure uma escola que fique perto de transporte público e facilite a sua rotina.

9) Busque orientação de consultores especializados

Buscar a ajuda de uma agência de intercâmbio que entende profundamente do assunto é uma ótima forma de escolher a melhor escola.

A Information Planet, por exemplo, conta com consultores especializados que já fizeram intercâmbio, conheceram a estrutura das escolas (alguns até trabalharam nelas) e têm conhecimento para prestar todas as informações que você precisa.

Essa experiência também permite que os nossos especialistas em intercâmbio tenham propriedade para indicar qual instituição mais combina com o seu perfil.

Quer uma ajuda no seu planejamento de intercâmbio? Fale com especialista

Conclusão

Muitas são as variáveis a serem consideradas na hora de definir o intercâmbio, mas para facilitar, nós ressaltamos prioridades:

  1. Metodologia (aqui incluímos as atividades extras da escola);
  2. Estrutura do campus (seu estilo é mais tecnológico e do agito ou intimista?);
  3. Turma de acordo com a sua faixa etária (não vá se sentir um peixe fora d’água).

Mas lembre-se: de nada adianta escolher a melhor escola para você, sem ter o mínimo de dedicação e persistência durante as aulas.

Assim que colocar os pés no país onde irá realizar o intercâmbio, mergulhe, de verdade no estudo no idioma ou do curso profissionalizante.

Curtiu as dicas? Com certeza agora vai ficar bem mais fácil escolher a melhor escola  para o seu intercâmbio.

Entre em contato com um de nossos especialistas e solicite um orçamento.

Teremos o maior prazer em solucionar as suas dúvidas e ajudar você a definir a escola para essa incrível experiência.